Detectando notícias falsas

Conselhos para pais e cuidadores

Saiba mais sobre o que são notícias falsas e como identificá-las para ajudar seu filho a pensar criticamente sobre o que vê online e melhorar suas habilidades de alfabetização de mídia.

Ícone de notícias falsas no laptop

Como você pode apoiar seu filho

Obtenha dicas práticas para capacitar seu filho a reconhecer o que são notícias falsas e como impedir a disseminação delas.
Quais são os tipos de notícias falsas?

Notícias falsas são promovidas por hackers, políticos, trolls, agências de publicidade e até mesmo governos, todos eles experientes em rede. Isso significa que ele vem em várias formas e tamanhos, tornando-o mais difícil de detectar. Esteja atento a:

  • Papéis falsos: parecem jornais tradicionais on-line, mas não são
  • Click-baiters: grupos organizados de hackers que inventam histórias por dinheiro
  • Anúncios ruins: anúncios segmentados com aparência de notícias
  • Hackers e Bots: contas falsas de mídia social divulgando notícias falsas.
  • Headliners: manchetes inacreditáveis ​​criadas para que você espalhe a história sem lê-la
  • Populistas: políticos dispostos a usar notícias falsas para obter apoio popular

Criaremos isso como um ativo visual para ilustrá-lo e fazer com que ele se destaque na página

O que você pode fazer para proteger seu filho

A Internet tem um potencial imenso para mudar o mundo para melhor e nossos filhos nativos digitalmente serão a geração que impulsionará essa mudança. Os professores relatam que seus alunos estão mais bem informados sobre questões de desinformação do que lhes atribuímos. Eles já têm o que os especialistas chamam de alfabetização digital crítica básica.

Alfabetização digital crítica significa ter cuidado com o que você lê, compartilha e escreve online. Existem várias maneiras diferentes sugeridas para melhorar a alfabetização digital.

  • Leia-o
  • Confira
  • Espere

Leia-o: Muitas vezes, as manchetes são enganosas, portanto, leia toda a história.
Verifique-o: Qualquer pessoa pode se apresentar como fonte de notícias hoje em dia, mas não é difícil checar online e ver se realmente é. Existem também vários sites de verificação de fatos. Use um se tiver dúvidas.
Esperar: Se algo parecer suspeito sobre a postagem, não compartilhe. Não faltam coisas para compartilhar. Se você ainda gosta da história, espere alguns dias e veja o que as outras pessoas pensam.

Quanto tempo eles devem gastar nas mídias sociais?

Fale sobre o possível impacto de passar muito tempo on-line e concorde com 'horários de dormir' e intervalos durante o dia. Crie oportunidades em família para ficar 'off-line' e se divertir juntos.

Qual é o perigo de notícias falsas?

Embora notícias falsas tenham sido responsabilizadas por influenciar o voto em referendos e eleições recentes, até agora há poucas evidências de que isso seja verdade. No entanto, o impacto de nossa preocupação com notícias falsas sobre nossos alunos é muito real.

Mais da metade dos jovens de 12 a 15 anos acessam as redes sociais como fonte regular de notícias. E embora apenas um terço acredite que as histórias das mídias sociais são verdadeiras, estima-se que metade das crianças entrevistadas admitiu estar preocupada com notícias falsas. Os professores entrevistados sobre o assunto observaram um aumento real nas questões de ansiedade, auto-estima e uma distorção geral das visões de mundo. De maneira mais geral, a confiança das crianças nas notícias, nas interações nas redes sociais e nos políticos está diminuindo.

Algumas histórias falsas podem ter um impacto real na vida de nossos filhos. O assim chamado "Anti-vaxxers"Movimento e os recentes falso Momo susto são exemplos de maneiras diferentes pelas quais as notícias falsas atacam nossas emoções e as de nossos filhos.

As crianças entrevistadas expressam a preocupação de que, quando estão online, não sabem em quem confiar, o que é real e quais formas de conhecimento são verdadeiras. Quase todas as crianças agora estão online, mas muitas delas não estão emocionalmente equipadas para lidar com os desafios de uma cultura online de notícias falsas. Não podemos impedir que nossos filhos usem a internet, nem devemos, é um recurso incrível. É importante então que nós ensine-lhes algumas regras básicas para que se sintam confiantes nos fatos que encontrarem online.

Você tem um link para a fonte das estatísticas que citou? Seria bom citar as 3 principais estatísticas que resumirão, a escala do problema, a compreensão das crianças sobre o assunto e as preocupações dos pais em relação ao assunto. Você acha que poderia fornecer isso?

Como lidar com questões relacionadas a notícias falsas

Às vezes, pode parecer que você já perdeu seus filhos para os telefones e tablets, mas não é o caso. Pesquisas mostram que jovens de 12 a 15 anos confiam tanto em seus amigos e família quanto nas redes sociais para suas notícias. O dobro disse que confia que seus amigos e familiares serão verdadeiros nas redes sociais. Os pais têm um papel importante a desempenhar para ajudar seus filhos a desenvolver resiliência digital.

Você e seus filhos podem melhorar seu conhecimento digital juntos. Transforme sua casa em uma mini plataforma de mídia social onde você se reúne e conversa sobre o que está acontecendo no mundo. Coisas simples podem ajudar, como discutir a diferença entre fato e opinião, talvez para resolver uma discussão entre seus filhos. Ao experimentar coisas como um anúncio direcionado ou uma manchete de isca de clique, compartilhe com seus filhos como um exemplo de notícia falsa.

Em parte devido a notícias falsas, nossos filhos sofrem de falta de confiança quando se trata de questionar a veracidade de uma informação. Em vez de dizer a eles que algo que eles leram online está errado, incentive-os a verificarem o artigo eles mesmos.

A mídia social criou um novo tipo de 'alfabetização digital'. A alfabetização digital não é apenas ler coisas online, mas compartilhá-las, discuti-las e postar conteúdo você mesmo. Essa 'cultura participativa' é algo que podemos abraçar como pais para gerenciar o impacto da desinformação.

Você não pode impedir que seus filhos estejam online, incentive-os a serem bons cidadãos, divulgando notícias falsas, sendo positivos em seus comentários on-line e criando ótimos conteúdos.

Se conseguirmos capacitar nossos filhos a serem participantes on-line ativos on-line, não apenas compartilhadores passivos, podemos vaciná-los contra o vírus da desinformação.

Outras seções que você encontrará em O difícil

Toque ou clique no bloco para saber mais

Seções mais populares

Rolar para cima