MENU

Como as mídias sociais impactam a saúde mental dos jovens?

A mídia social pode ser uma ferramenta positiva para ajudar as crianças a se desenvolver e crescer, mas também pode afetar a saúde emocional e mental dos jovens. A Dra. Linda oferece conselhos para ajudar os pais a incentivarem as crianças a entender os riscos e lidar com elas.

O poder das mídias sociais

A mídia social mudou drasticamente a forma como nos comunicamos, e há muitos benefícios para ela. Temos acesso a informações ilimitadas, podemos nos conectar com pessoas de todo o mundo quase imediatamente e podemos compartilhar com outras coisas que são importantes para nós.

A mídia social também é uma ferramenta poderosa em termos de motivar as pessoas para a ação e fazer mudanças sociais. Ele fornece uma plataforma para que as vozes dos jovens sejam ouvidas, permitindo que elas tenham voz ativa em questões que são importantes para elas. O mundo on-line tem o potencial de ajudar os jovens a explorar novos conceitos, gerenciar riscos e construir resiliência.

No entanto, como a mídia social evoluiu tão rapidamente e tem um impacto profundo na fibra social e nas relações interpessoais, é importante explorar os efeitos potenciais sobre a saúde emocional e mental dos jovens.

O que dizem as pesquisas sobre mídias sociais e saúde mental?

Nos últimos anos, os psicólogos começaram a olhar para os efeitos das mídias sociais sobre o bem-estar mental e uma constatação consistente de muitas dessas pesquisas é que a uso pesado das mídias sociais está associada à pior saúde mental.

Um estudo recente da Universidade de Pittsburgh com jovens adultos sugeriu que usuários pesados ​​de mídia social tinham três vezes mais probabilidade de ficar deprimidos do que usuários ocasionais. UMA Estudo canadense de Centro de Vícios e Saúde Mental que examinou dados de mais de 10,000 adolescentes, descobriu que os jovens que usam a mídia social mais de duas horas por dia eram significativamente mais propensos a classificar sua saúde mental como "regular" ou "ruim" em comparação com usuários ocasionais.

Uma visão geral da pesquisa geralmente aponta para os principais fatores da 3 quando se trata do motivo pelo qual o uso excessivo das mídias sociais pode impactar negativamente a saúde mental dos jovens:

1. Impacto no sono

O uso pesado pode ter um impacto negativo no bem-estar físico, que por sua vez pode afetar a saúde mental. Isso é particularmente relevante quando se trata de distúrbios do sono. Vários estudos relacionaram as dificuldades do sono ao tempo de triagem.

Seja a luz azul das telas que afetam a qualidade e a quantidade do sono ou os distúrbios comportamentais que fazem os jovens acordar para verificar seus telefones, o sono reduzido é uma questão importante quando se trata de saúde mental. O sono é crucial para o desenvolvimento do cérebro do adolescente, e a falta de sono está associada a um humor mais baixo e à depressão.

2. Use como ferramenta de comparação de vida

Embora a mídia social tenha sido inicialmente criada como meio de se conectar com outras pessoas, agora também é usada como meio de comparação. Tornou-se um barômetro de como nos equiparamos aos outros e isso é um problema específico para os jovens que são socializados através do sistema escolar para se “classificarem” em relação aos seus pares.

Como consequência, muitos dos estudos longitudinais feitos nesta área sugerem que estamos cada vez mais envolvidos no "uso passivo" das redes sociais - é aqui que olhamos para as fotos e vidas de outras pessoas e as comparamos com as nossas, e é mau para nossa saúde mental.

A natureza da mídia social é tal que a maioria das pessoas apresenta os destaques de suas vidas com mais regularidade do que as coisas chatas, então esses destaques parecem ser a norma. Na verdade, tendemos a postar quando estamos no alto e a navegar nas páginas de outras pessoas quando estamos em baixo, então o diferencial entre nossas vidas reais e as vidas idealizadas que vemos na tela é ainda mais ampliado, levando-nos a sentir que não podemos medir e que estamos perdendo. Isso pode afetar o bem-estar mental, fazendo a pessoa se sentir inferior e inadequada.

3. Perseguir gostos no correio para estimular a auto-estima / autoestima

Se eu quisesse planejar um exercício de 'pensamento' em baixa auto-estima, eu faria alguém tirar dezenas de fotos, editá-las, postá-las para que outros avaliem e então, se eles não receberem validação suficiente através de curtidas, comentários ou repostagens, começar tudo de novo. Essa maior autoconsciência e gerenciamento de impressão que é inerente ao envolvimento da mídia social é, eu acho, terceiro área que afeta a saúde mental.

Ser muito ativo nas mídias sociais e se preocupar em postar regularmente fotos e atualizações de status tem sido ligada à ansiedade, má imagem corporal e diminuição da saúde mental. A busca constante de aprovação de outras pessoas e a busca de validação externa significa que os jovens não desenvolvem um senso de identidade seguro que não dependa de condições arbitrárias de valor.

Essa preocupação com a forma como outras pessoas reagem ao que postamos nas mídias sociais pode levar os jovens a se sentirem inseguros quanto ao seu valor. Eles podem começar a se preocupar com a forma como são vistos, tornando-os mais autocríticos em relação à aparência física e à vida em geral. O lançamento constante também pode abri-los para receber comentários mais negativos ou médios on-line, em vez de elogios ou elogios. Potencialmente eles podem ser maior risco de ser vítima de cyberbullying, o que tem sido associado a uma depressão grave e até a comportamentos suicidas em casos extremos.

Conversando com crianças sobre os prós e contras das mídias sociais

Portanto, embora haja muitos benefícios para as mídias sociais, como pais, é importante discutirmos com nossos filhos a importância de usá-las de maneira mais saudável.  Precisamos conversar sobre o impacto de buscar a aprovação de um mundo online que realmente não os conhece ou comparando suas vidas com as versões editadas das vidas que veem online.

Precisamos conversar sobre como ele tem o potencial de afetar o sono e, portanto, sua saúde e, por meio disso, ajudá-los a fazer escolhas mais informadas sobre quando "desligar" à noite. Em última análise, precisamos lembrá-los de que a mídia social não é a única maneira de ser social e encorajar uma interação mais cara a cara e conexões, lembrando-os de serem cautelosos em deixar o envolvimento on-line atrapalhar a boa saúde mental e o bem-estar.

Recursos

Se você estiver preocupado com a saúde mental do seu filho, entre em contato com a linha de ajuda aos pais da YoungMinds para obter suporte individual, 0808 802 5544

Visite o site

Mais para explorar

Veja mais recursos e artigos para apoiar crianças on-line:

Postagens recentes

Rolar para cima